O que precisas de saber para acampar na Barragem de Montargil

Depois de mais de 2 meses fechada em casa, no meio da cidade, tal como muitos de vocês, precisei de uma escapadela à natureza. Não acampava há demasiado tempo e assim que pudemos começar a desconfinar decidi rumar a Montargil com dois amigos. Estávamos todos em casa há muito tempo e sempre cumprimos as medidas de segurança. Assim, num sábado de manhã saímos de Lisboa.
Montargil fica a uns escassos 112km de Lisboa, caminho que se faz muito bem pela estrada nacional em cerca de 1h30. Recomendo a ida pela N119 de modo a poderem aproveitar as vistas encantadoras que a Lezíria do Tejo oferece. Toda a viagem é panorâmica!
A Barragem de Montargil situa-se no distrito de Portalegre, concelho de Ponte de Sôr, ficou concluída em 1958 e é utilizada maioritariamente para rega e produção de energia. A sua albufeira é utilizada, principalmente para actividades de lazer e desportos naúticos.
Íamos já com um sítio em mente para ficarmos na margem da albufeira, recomendado por alguém conhecido. Pusemos as coordenadas no GPS e quando lá chegámos soubemos que tínhamos escolhido bem! O local era óptimo para, mais tarde, podermos montar a tenda, ficava numa zona da barragem com acesso rasteiro à água e tinha algumas árvores a fazer sombra.
Se não fores fã de acampar, existem imensas oportunidades de alojamentos familiares e acolhedores que podes encontrar aqui.

Acampar na Barragem de Montargil

Como aproveitar o tempo

Chegámos perto da hora do almoço e, após montarmos uma mesa e cadeiras, aproveitámos para atacar os petiscos que tínhamos trazido. O restante dia foi passado a viver um género de “dolce far niente” português, ou um “passar o dia de rabo para o ar”, como se diz na minha terra.
 
Para quem quer aproveitar a oportunidade para descansar, pode também levar umas canas de pesca. Na zona existe muito peixe. Se o decidirem fazer, não se esqueçam de obter a licença que precisam para o efeito e que pode ser tirada em qualquer multibanco.
 
Para os mais activos, podem sempre levar umas pranchas de SUP, uns kayaks ou umas camas insufláveis e divertir-se na imensidão de água que se estende adiante. Eu encontrei uma placa grande de esferovite e dei um pequeno passeio na minha barcaça improvisada.
 
Sendo nós três pessoas levámos umas cartas e uns jogos para ocupar o tempo, mas a natureza convidava tanto a relaxarmos e a libertar a mente de preocupações, que não jogámos nada.

O que comer

Para a almoço do dia da chegada, o ideal é trazer de casa umas sandes e algo para petiscar, já feito.
Para jantar fízemos espetadas de carne, com espetos improvisados a partir de paus encontrados no chão. Que acompanhámos com salada e esparguete feito no fogão de campismo que levámos. Vê aqui o equipamento que deves mesmo levar no teu próximo acampamento.
 
No almoço do dia seguinte fizemos bifes e chouriço assado, com acompanhamento igual ao do jantar.
As refeições num acampamento devem ser simples e nutritivas, pelo que temos isso sempre em conta. Em breve publicarei um artigo sobre as melhores refeições para fazer em campo.

Como acampar na Barragem de Montargil

Montámos a tenda e haviam apenas mais duas pessoas a acampar por ali, apesar de que auto-caravanas existiam várias. Percebemos que é um sítio relativamente concorrido, mas o espaço é amplo o suficiente para todos, mantendo sempre uma distância bem superior à distância de segurança aconselhada.
 
O terreno é plano e pouco empedrado, o que facilita a montagem da tenda. Estava pouco vento, pelo que decidimos montar a tenda com a porta virada para a barragem, de modo a poder ter a melhor vista assim que acordasse. Para além da direcção do vento (quando o há), isto é algo que tenho sempre em conta, aquando da montagem da tenda.

O céu nocturno

As saudades que eu tinha de um céu estrelado! Longe da cidade podemos observar estrelas que nem sabiamos existir no céu. Uso sempre uma aplicação que me permite identificar cada astro que observo e a que constelação pertence. É a melhor forma para nos guiarmos pelo céu, sem nos perdermos na imensidão de pontos luminosos que o completam.

Apanhar o lixo

Sempre que acampo, faço caminhadas ou passo tempo na natureza, faço questão de “deixar o mundo melhor do que o encontrei”, com dizia Baden-Powell. Recolho o lixo que consigo e levo-o comigo até ao caixote mais próximo. Apelo-te a fazer o mesmo! A natureza agradece e tu também agradecerás da próxima vez em que estiveres no meio da natureza sem tropeçares em lixo.

PARTILHA NAS TUAS REDES

BIA DRUMOND DIAS

Viajante de coração e sonhadora de profissão, estou sempre à procura da próxima aventura. Já conheci mais de 15 países, muitos deles durante o ano em que trabalhei como Assitente de Bordo. Agora aspiro voos mais terra a terra com os habitantes do mundo inteiro!

LÊ MAIS