5 conhecimentos para ultrapassar o medo de andar de avião

Os nossos medos ultrapassam-nos e não devemos ter vergonha de os expressar, mas quando esses medos nos paralisam e nos impedem de fazer algo que gostamos, temos o dever de tentar ultrapassá-los. Ao longo do ano em que trabalhei como Assistente de Bordo, cruzei-me com dezenas de passageiros com pânico de voar. Cada um expressava o seu medo de maneiras distintas, mas todos tinham em comum o terror que sentiam assim que entravam no avião. E, geralmente, percebia logo quem eram esses passageiros, mas existem conhecimentos que te podem ajudar a ultrapassar o medo de andar de avião.
 
O avião é, todos os anos, considerado o meio de transporte mais seguro do mundo. A probabilidade de termos um acidente de viação nas estradas da nossa cidade é exponencialmente superior a termos um acidente de avião. 
 

Ganhar Asas 

Diz-se que a única forma de combater os nossos medos é enfrentando-os, mas é díficil atingir o estado de espírito necessário para o fazer. A TAP Air Portugal tem um curso chamado Ganhar Asas, direccionado para quem teme andar de avião. É um curso com psicólogos, pilotos e assistentes de bordo, que consiste em deslindar a fonte do medo e acaba com um voo acompanhado a Madrid. 
 
Escrevo-te como uma pessoa que tinha algum receio quando estava num avião. Se houvesse turbulência eu tremia e nas descolagens e aterragens o meu coração segui apertado e com medo de que algo corresse mal. Foi preciso entrar para o curso de Assistente de Bordo, para que todos esses receios se dissipassem. Assim que percebi que tinha nascido para fazer aquilo, não houve nada que me conseguisse parar e todos os medos desapareceram no primeiro dia em que entrei num avião para trabalhar. 
 
Tenho muito respeito por esse medo, não só porque já ter sofrido um pouco com ele, mas também porque tenho familiares e amigos com pânico de andar de avião.
 
Enquanto voava, fui tentando encontrar formas de ajudar estas pessoas a ultrapassarem os seus medos. Apercebi-me de que a falta de conhecimento quanto ao funcionamento do avião e de todo o processo, é um grande responsável pela persistência do medo. Para tal, juntei 5 conhecimentos que poderão ajudar neste processo. 

Ultrapassar o medo de andar de avião

1. A aviação funciona através de redundâncias

Todos os sistemas num avião, que achas que poderão falhar, têm mais dois ou três sistemas por trás, prontos a funcionar em caso de avaria do anterior. A maior parte dos aviões têm dois motores, mas todos eles estão aptos para voar com apenas um.
 
Na aviação existem muitas barreiras para o erro. Todas as profissões à volta de um avião são como um obstáculo para que um erro ocorra e um acidente/incidente, só ocorre quando muitas dessas barreiras falham ao mesmo tempo.
 
Daí serem raros os acidentes de avião, se considerarmos a quantidade de aviões que circulam no espaço aéreo a cada segundo do dia. Vê no Flight Radar quantos aviões estão no ar, neste preciso momento!

2. Os pilotos estão em constante formação

Para sequer começarem a formação, cada piloto passa por testes psicológicos, psicotécnicos e médicos. Durante a formação são anos a estudar e mais uns quantos anos para conseguirem horas suficientes para conseguirem concorrer para uma companhia aérea. Onde terão ainda mais meses de formação para os aviões específicos da companhia aérea. Fazem simuladores frequentes ao longo de toda a carreira, onde têm de reagir em todo o tipo de cenários, mesmo os mais improváveis. 
 

3. As Assistentes de Bordo não são só para servir chá e café

Muitos não sabem, mas 90% da formação para Assistente de Bordo é segurança. Quase todo o curso é focado no nosso papel na segurança dos passageiros a bordo. Onde simulamos igualmente o que fazer em todos os cenários de emergência possíveis e aprendemos a estar preparados para reagir a qualquer eventualidade.
Apenas uma pequena parte do curso é sobre o serviço a bordo, porque a aviação é, efetivamente, sobre transportar pessoas. O serviço é só um extra para promover o maior conforto do passageiro nessa experiência aeronaútica. 

4. A legislação para os descansos da tripulação é muito apertada

Existem resgras muito restritas quanto ao descanso das tripulações. As horas mínimas de descanso têm de ser cumpridas, exijam ou não atrasos no voos. São riscos que não se correm e que ninguém está disposto a correr. O descanso da tripulação, especialmente dos pilotos, é um assunto sério e todos os que estão na profissão sabem o quão importante é para a segurança do avião. Podes crer que todos estão no bem descansados antes de irem viar, porque estão!
 

5. Os aviões têm inspecções de manutenção regulares

A legislação para a aviação não é brincadeira. É um rol de regras que têm de ser cumpridas pelas companhias aéreas, correndo o risco de terem de fechar, caso não as cumpram. Muita dessa legislação foca-se na mecânica do avião.
 
Existem prazos que têm de ser cumpridos no que toca a inspecções e reparações mecânicas de um avião e o mesmo não pode sair, se as mesmas não estiverem cumpridas. Correndo as companhias aéreas o risco de pagar multas de milhões de euros, caso um prazo não tenha sido cumprido.
 
Acreditem, nenhuma companhia aérea quer correr esse risco e, por isso, apostam na formação de mecânicos qualificados para garantir diariamente que os aviões estão operacionais para voar. 
A aviação é uma indústria de milhões e nenhuma companhia aérea deseja correr o risco de perder licenças, de pagar multas ou de ter de fechar, por facilitar. Ninguém facilita e todos os envolvidos levam muito a sério a aviação. 
 
Sei que não é o suficiente para perder medos, mas a próxima vez que entrares num avião pensa no que acabaste de ler e tenta que isso te traga alguma calma, para que possas passar uma viagem agradável, no meio de transporte mais seguro do mundo! Pensa também nas vistas incríveis que estás a perder!
 
Eu adoro voar e sinto-me em casa cada vez que entro num avião e eu não sou maluquinha. Se eu e tantos outros nos conseguimos sentir totalmente seguros dentro de um avião, tu também consegues! 

PARTILHA NAS TUAS REDES

BIA DRUMOND DIAS

Viajante de coração e sonhadora de profissão, estou sempre à procura da próxima aventura. Já conheci mais de 15 países, muitos deles durante o ano em que trabalhei como Assitente de Bordo. Agora aspiro voos mais terra a terra com os habitantes do mundo inteiro!

LÊ MAIS